Páginas

domingo, 2 de janeiro de 2011

Profissionais mal-sucedidos


Eles se apaixonaram.Mas isso não parecia importar,os dois de tão apaixonados  sentiram a necessidade de se apoderar um do outro.Surgiu então a condição de posse,se julgaram com a chave do coração do outro e por mera distração haviam jogado-na fora.Os dois sentiam tanto um pelo outro que tinham medo dessa coisa amedrontadora,mas foram corajosos e enfrentaram o monstro.Mal sabem que fizeram a escolha errada,que fortes são os que sabem reconhecer sua fraqueza.Estupidamente cobraram coisas que jamais poderiam dar,imploraram a liberdade por micharia.As brigas foram somente o resultado dessa soma mal calculada,desses matemáticos que sonham ser escritores.E como todos estão esperando,houve o fatídico dia.Não falarei sobre como estava o clima,o local e suas roupas pois não me cabe entender de geografia e moda,apenas escrevo,caso contrário sufoco.Enfim,discutiram mais uma vez,mas dessa foi diferente.
Da primeira vez que usaram a matemática,somaram,já que era mais fácil e, na folha rabiscada o número 2 reluziu absoluto.Mas estavam cansados e felizes com o resultado que não se deram ao trabalho de experimentar outros sinais.Acontece que eram multiplicação,e seu resultado seria sempre um,mas sua matemática era medíocre e não sabiam que sinal usar.Ás vezes para quebrar a rotina experimentavam dividir,mas inutilmente resultava o número 1,mas voltavam a recorrer a soma algum tempo depois.Dessa vez foi tudo diferente porque resolveram subtrair,mas não acreditaram na solução.Refizeram a equação inúmeras vezes,mas então lá estava a verdade exposta em suas faces.Erraram na solução,no lugar da soma era para ser feita a divisão,ou se optassem pela subtração ambas partes sairiam feridas.Mas como disse,eles não eram feitos para a matemática,eram amantes da literatura.No lugar da divisão,subtraíram.E sua amante parecia um fantasma que ficava rondando esse relacionamento.Finalmente se deram conta de seus sonhos e abandonaram de uma vez por todas as malditas equações,sem nem reparar o erro de cálculo.Bateram as portas e não falaram nem um "foi bom enquanto durou".
Consideraram somente as folhas rabiscadas e o tempo perdido,não a experiência ganha em contas que poderia vir a se tornar quem sabe parte de um texto.Hoje aquele homem se encontra ao lado de outra mulher,assim como a mulher se encontra ao lado de outro homem,mas arranjaram uma nova forma de errar.Agora porém se arriscaram na carreira de escritor e não sabem ainda,mas seus textos são decadentes.Sua escrita além de conter inúmeros erros ortográficos,não tem a menor lógica.Nesse momento erram através das palavras e não dos números,são precários em redigir uma história condizente.
Porém eles são insistentes e se não me engano ainda tentarão várias profissões até encontrarem uma que seja a sua.Não acredito que trabalhem com arquitetura,pois construiriam um castelo de cartas.Nem com direito,pois não suportariam a ideia de coração estraçalhado não ter como pena  anos de cadeia ao causador.Ainda não sei bem seu futuro amoroso,mas como todos não desistirão.Porque a gente vai do céu ao inferno num piscar de olhos e chora até ficarmos desidratadas e juramos por tudo que é mais sagrado que não queremos mais isso,mas lá vem uma pessoa que é diferente de todas as outras e que nos ama pelo que somos interior e não somente exteriormente e nem nos lembramos mais da promessa e esse ciclo se repete até não sei quando.Porque no fundo a gente quer ter com quem compartilhar nossas alegrias e tristezas e um uma pessoa que fale "Você está linda" mesmo que estejamos horrorosas.Com eles não é diferente,mas um dia eles encontrarão uma área instável e segura ao mesmo tempo,juro que ao menos tentarão.

3 comentários:

Luiza disse...

intenso; é assim mesmo, somos viciados no ciclo avassalador que é gostar de alguém. e nem sempre nossos cálculos dão certo, ou nossas histórias se completam, mas todo relacionamento é uma lição. beijos guria, um 2011 maravilhoso pra ti.

Amanda Arrais disse...

ADOREI a brincadeira entre números e palavras, matemática e literatura!
Quanta criatividade, parabéns!

E boa sorte nesse ano que vem :)

=*

Ana Olivia disse...

Tenho que dizer...novamente, temos personalidades e experiencias mt parecidas. Se voce der uma fuçadinha em tudo q eu ja passei, especialmente no ano de 2009, vai entender pq digo isto.
Seu texto está intenso, está feroz, está rasgante! Parabens!
Ao mesm tempo q sinto por sua experiência, mas digo e repito, ainda bem que aconteceu.
Se nao acreditas, olhe-se ontem e hoje. Quem era a vivih e qm eh ela agora?