Páginas

sábado, 8 de janeiro de 2011

Por um motivo estúpido deixe de me ser,e já não mais me reconhecia.


Não,a culpa dele foi não ter me permitido ser eu um pouquinho que seja.Tudo que eu queria era ver-me livre de todas essas palhaçadas que vemos todo dia nos jornais,mas não,ele queria saber o porque,igual a mulher complicada cheia de teses ele perguntava se poderia ajudar,se havia algo errado em nós e enchia-me cada vez mais com essas indagas e lamúrios.O meu copo foi-se enchendo,até que derramou tudo,e o whisky do Paraguai que ele me servia com tanto ardor ia manchando a mesa de mármore que demorei tanto para pagar,tive que trabalhar feito uma condenada para sustentar meu vício de ser aceita pela sociedade.Então não havia mais comparação,havia me tornado realmente uma condenada,condenada de meu destino,desse cotidiano e rotina infectos.O meu coração não tinha mais voz,o subornei com essas ilusões de que era melhor fazer o considerado normal,tinha que me contentar com aquele trabalho miserável que pagava tão bem e salvava vidas.Mas e minha vida?Essa ia se entorpecendo desse sangue que via todo dia,sangue aliás que não me pertencia,impessoal.Enquanto fingia não ver os cortes profundos que não estanquei,fui uma médica hipócrita,não ofereci ajuda a alguém que a implorava 24 horas por dia.Reconheci então que estou com hemorragia interna,mas me recuso a encarar sangue e tripas novamente,porque para essa dor parar de doer mais parece que tenho que trocar o coração por um de um porco,que continuará a bater e me será novamente impessoal.
E agora que faço eu?A verdade está exposta em minhas faces cuidadosamente tratada,ensopada de cremes e maquiagem e que mais me parece o rosto imundo de alguém que operei,o rosto que estava coberto por um pano azulado.Esta não sou eu,a outra ou eu finalmente-não sei ainda diferenciar uma da outra,prometo que um dia o farei-esse it esperneava numa folha de papel qualquer.Não sabia gritar aos humanos que nunca saberão o significado dessa palavra e não serão propriamente humanos,mas cansei-me dessa dor anestesiada com a  realidade deplorável.
Não,graças a mim o soltei após horas de cirurgia,não havia mais caroço entalado na garganta,mas não salvei apenas as minhas cordas vocais,havia a libertação de um corpo,de um coração.Verdade que não funcionava plenamente sem parte fundamental de mim:eu mesma.O homem patético que me questionava sem parar ficou perplexo ao ver-me fazer as malas e proferir"Fique com o velho fantasma que achavas que eu era,tu achas que ama a ela não a mim,e não ouse me procurar,ao fazer isso estaria matando tua velha amada,aquela desgraçada que dizia ser eu."Até aquele momento estava escondida pelas minhas tentativas frustradas de tentar acreditar que sim,que aquela vida era maravilhosa para mim.Agora era eu e o mundo a me olhar perplexo,mas naquele momento em que bati a porta da casa da desconhecida que operei,tive a certeza de que não precisava de mais nada,eu me bastava.Eu,meus sonhos e a coragem para enfrentar o que viesse pela frente.E como quando criança eu amava colocar licõeszinhas de moral nos textos que escrevia,permito-me agora dar-lhes uma moral que mais soa conselho de quem o fez e se arrependeu :em hipótese alguma abandonem o que desejam,nunca deixem a voz imbecil dos que nunca tiveram a coragem para enfrentar seus sonhos elevar-se a do seu coração,e não parem de sonhar nem mesmo quando o coração parar de bater.


Alterei algumas coisas no layout do blog como Sou o antônimo de mim mesma,Plágio é crime,o template e a página Livros lidos em 2011,mas como não entendo absolutamente na-da de layout e html e blá e gosto dele como está  não fiz nada radical.E será que por favor alguém poderia me indicar blogs e livros,pois estou com sede de leitura.Sim?Obrigada.Desculpem-me pelo tamanho do texto e pela demora por postar,prometo que tentarei reduzí-los.

3 comentários:

Marcella disse...

Lindo esse texto! Amo os seus textos!
Beijos linda! Sucesso!

Marcella disse...

Quero maaaais! :)

Bia disse...

Adorei!
Não parar de seguir os próprios sonhos nunca, todos deviam seguir esse conselho :)
Beijos :*