Páginas

sábado, 4 de dezembro de 2010

Até quando?


Ao sr. papai do céu, 
Mas o coração contrário a minha vontade bate,sinto cada tum-tum me arrebentar a pele.Inevitavelmente o coração sangra.Lateja.Destroça.Sofre empalação.O corpo fraco se sustenta sobre um cérebro que não ousa desistir.Logo eu que sempre fui adepta do coração me agarro com unhas e dentes à razão.Pois sei que se desistir agora,não terei outra chance.Ou talvez tenha essa chance longe das pessoas que amo e,essa ideia me apavora.
Todas as imagens de uma curta vida passam sobre a minha cabeça,os anos que muitos desperdiçaram querendo crescer não terei a chance de desfrutar.Somente 6 anos papai do céu?Fui uma menina muito má,por isso papai noel não me visitava e acabarei assim,fruto de um pecado e estatelada no chão?Papai do céu perdoe-me todas as injustiças,todos os erros e pecados que cometi,mas é porque não tinha consciência.Não sabia que aquele brinquedinho que foi-me entregado em mãos era tão perigoso e poderia tirar a vida de alguém.
Agora me julgam como se eu fosse o pior monstro do mundo,mas não sou,eu juro que não papai do céu.Sou tão pequena e já condenada por um crime que nem sequer sabia que iria machucar alguém.Papai do céu me proteja,eu sou uma menina boa,porque fui trancafiada em uma sala escura cheia da bichos e não me servem comida todo dia?Eu juro que não desejava aquilo,mas agora isso pouco importa,nem meu papai super herói foi capaz de me salvar desses monstros que usam o nome da justiça para matar alguém e sair impunes.Agora todos falam de mim,se sentem revoltados pelo que está acontecendo aqui,mas não tem noção do quando dói.
Arrastaram-me à força,nem sequer deixaram-me levar minha bonequinha,não sabem que sem ela tenho pesadelos de noite?Eles não me olhavam papai do céu,fingiam que não era para eles que implorava para deixar-me viver,para deliciar-me com a adolescência,a fase adulta e a velhice.Um homem com rosto barbudo e sorriso sacárstico veio até mim,ele tirou minha roupa e pude sentir algo me penetrar.Como doía,mas tinha que lutar.Ele não me deixou ir,me violentou e continuou sem roupas e fazendo algo que não sei definir.Perdoe-me papai do céu,sei que isso deve ser algo repugnante,mas não consegui escapar.Ele me viu sem roupas e fez o que bem entendeu.E agora papai do céu,o que será de mim?
Todos me veem nua,despida de pudor e caráter.Me veem com olhos maus,como se fosse criatura horrenda de sete cabeças e eles anjinhos.Em falar em anjos,onde está o meu?Será que se esqueceu de mim logo agora quando mais preciso dele?Sinto-me imunda,melhor não me sinto de forma alguma.Perdi qualquer tipo de dignidade que o senhor me deu e minhas forças estão se esgotando.
Horas atrás senti algo maior e mais assustador ser colocado em mim.Era um ferro,papai do céu,um cabo de ferro.Porque todo aquele ódio por mim?Fui dilacerada aos poucos,até aquele cabo de ferro monstruoso parar em minha boca calando-me bruscamente.Tentei o máximo que eu pude,mas agora não aguento mais.Continuar lutando traria-me mais sofrimento.Não posso continuar sofrendo tanto assim.Mas e agora papai do céu?O senhor também me acha má e não me acolherá?Por favor papai do céu,eu juro que não queria fazer aquilo,juro.O senhor também me acha imunda e perversa?Me abrigue e cure essas dores papai do céu.Tudo que eu peço é que me acolha,por favor papai do céu...

H.

 
Em meio ao tumulto de discussões no jornal e pessoas indignadas,um recorte de jornal apavorava e contava a história agonizante dessa menina:

Vítima do próprio governo,a menina de seis anos foi julgada e condenada pelo crime de assassinato.A criança iraniana sofreu empalação-método de execução em que o condenado é estuprado,e penetrado por uma estaca e logo após içado ao ar.A menina não tinha consciência do seu ato e foi perversamente morta em nome da lei.Essa é a triste história de crianças que nascem no Irã,e a pergunta é "Até quando deixaremos isso acontecer?"


Perdão pela ausência.Prometo que em breve postarei os selos que ganhei das fofas Daniela e Giulia-aliás meninas mil perdões pela demora e muito obrigada pelos selos e pelo carinho.Estava muito ocupada com a escola,mas quarta estarei de férias e postarei diariamente.Pelo menos houve um trabalho que me causou muito estresse,mas que ficou muito interessante,sobre a pena de morte,que acabou gerando esse texto semanas depois.Causa-me nojo dessas pessoas que fazem isso,enfim tava morrendo de saudades daqui e prometo que responderei os comentários amanhã mesmo.Beijoos ;*

2 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Esse seu texto foi tão bem escrito, tão verdadeiro em cada linha, que não foi difícil ficar arrepiada.

Espero não perder contato, viu?

Beijo e maravilhoso domingo.

Rebeca

-

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Você transborda sensibilidade, Vivi.

Outro beijo.

Rebeca

-