Páginas

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Paixão bandida


Quando eu te vejo
Espero o teu beijo
Não sinto vergonha
Apenas desejo
Você vai lembrar de mim-Nenhum De Nós


Não,eu não te amo.Você não é o garoto amável,que me diz coisas bonitas.Você é o segredo que não conto nem pra mim mesma.Sabe,conosco não existe aquele papo de borboletas no estômago,declarações ao luar,nem nada disso.Você é o errado,o amor bandido,nós somos a intensidade.Quando nos olhamos,saem faíscas.Evitamos esse pensamento,cada um tem sua vida,seus amores.Não nos amamos,nem ao menos gostamos de conversar um com o outro,o nosso lance é bem maior.São beijos tempestivos,beijos roubados,puro desejo.Sei,esse é um sentimento nada puro,ele é sujo,encardido.
Tentei te esquecer,aliás achei que já nem me lembrasse do gosto do seu beijo,afinal há mais de 3 meses que provei do seu veneno.Me enganei,nem o amor da minha vida foi capaz de acabar com ele,nasceu assim do nada,e é difícil controlá-lo,quando te vejo a vontade do seu beijo se assola por meus poros,articulações,o seu cheiro é reconhecido a quilômetros de distância.
Repito,não te amo,mas isso não quer dizer que não seja apaixonada por ti,sim é paixão.Uma paixão mesquinha,que se atreve a balançar um coração que ama,que quer mexer com certezas,verdades absolutas.
Eu não te amo,amo a outro;por ti sinto só paixão,só.

Escrito em 13/09/10


2 comentários:

Camila Mancio. disse...

Cara, que texto lindo.
Sempre passo por aqui.
porque gosto do que escreve.
Grande Beijo.

Duanny!. disse...

Talvez a paixão se acalme, mude de cor e finalmente se torne amor.
Quem sabe.
;D

lindo texto.