Páginas

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Dança grave


Um verso perdido,ínfimos momentos em que nos encaixamomos em partículas que pensávamos ensamblar.Os movimentos rudes,como em uma dança de expressões graves interpretadas com uma dramaticidade que de tão excessiva torna-se vulgar.Quanto ao que não se pode ver,refiro-me aos acordes que fazem os coreógrafos se moverem e ao que se esconde por uma máscara mundana,sendo assim reconhecido como verídico ou não somente pelos dançarinos.O que não se pode ver pois encontra-se revestido de palavras de fácil entendimento ou silêncios complacentes,isso a que me transporto tão lentamente seria profícuo não fosse a necessidade de uma compreensão profusa.

5 comentários:

Luhh disse...

oie flor to seguindo segue? www.rosa-chiclete.com ain e se der me ajuda a publicar meu blog? ele acabou de voltar de uma crise, bjs

Evelyn Oliveira disse...

Olá… Estava passeando em alguns blogs e encontrei o seu, achei super bacana e quis deixar um alô.
Aproveito para convidá-la e visitar o meu cantinho qualquer hora, fique a vontade viu?!

Bom fds!
Bjo grande ; )
@evelyncmo

/cupcakerock.blogspot.com

Julie Duarte disse...

Adorei o texto :)

Maria disse...

Gosto muito do teu blog +.+
Visita também o meu http://tonightwillbemore.blogspot.com/

Luiza disse...

Nossa, que forte. Você juntando palavras umas nas outras e fazendo tudo por aqui bonito. Beijos guria