Páginas

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A ideia de eternidade


Pode-se falar na eternidade do amor e não fosse a ideia errônea que fazem da eternidade acreditaria e apoiaria o discurso intimista e moralmente mundano.Acredito sim que amor é eterno,visto que eternidade não se atinge em viver toda uma vida -ou mais de uma-ao lado ou venerando uma pessoa.Eternidade consegue-se humildemente ao se alterar esferas do ser,eternidade do amor é ter o amor em questão marcado em compassos e expressões.Amor não pode se render a outra definição a não ser o limite do considerado eterno.Como diria Caio F. amor nunca acaba, o que acaba são as relações.
Recordo-me vagamente de um espanhol de Clarice o qual tinha amado muito uma mulher e sintetizando a história a mulher amada morreu e este não amou outra mulher,embora seja preciso admitir que retomou a vida e se rendeu aos encantos de muitas delas.Não supro a vontade de lacrimejar por essa história onde não se deixa transparecer facilmente a veracidade do seu amor e corre o risco de parecer promíscuo e mundano a olhos românticos,amor deve ser a ideia de ser livre a buscar outras paixões e não a pseudo-relação matrimonial que muitos românticos traçam com o amado que muitas vezes não reconhece a relação.
Acredito,enfim que eternidade do amor é a particularidade de todas as esferas de amor,o contrário seria paixão.Amor eterno é ser alterado de bom-grado e a ausência da percepção de mudança,mudança esta que não acontece afim de um objetivo,como muitos supunham.Amor eterno é levar no peito um carinho e afeto enormes que não se sabe como digerir e representar pelo amado findadas as relações passionais e não sentir preso ou recluso a tal sentimento.

Um comentário:

Luiza disse...

"Eternidade consegue-se humildemente ao se alterar esferas do ser,eternidade do amor é ter o amor em questão marcado em compassos e expressões." Bonito guria.
O amor nos prende a outra pessoa, e vem de nós, ou de quem amamos a possibilidade de soltura. Amor aprisiona, mas a gente consegue fugir da pessoa, ele sempre vive na gente. Beijos